jusbrasil.com.br
29 de Maio de 2020

Nasce a ANACRIM - Associação Nacional da Advocacia Criminal, idealizada pelo Dr. James Walker Junior

Uma instituição que já nasce forte, poderosa e destemida na defesa das prerrogativas da advocacia criminal brasileira, juntos, sempre seremos mais fortes.

Abr Jurídico e Contabilidade, Contador
há 2 anos

Palavras do seu idealizador Dr. James Walker Junior:

NOSSO TRABALHO NÃO VAI PARAR

Convocamos as amigas e amigos advogados criminalistas para que conheçam e façam parte da ANACRIM - Associação Nacional da Advocacia Criminal.

Em data próxima realizaremos as eleições diretas e democráticas para a presidência da associação e contamos com todos aqueles que atuam na área criminal.

Nunca tivemos instituições em defesa, especificamente, da advocacia criminal.

Então, parafraseando o meu amigo Antonio Pedro Melchior, “quanto mais coletivos de defesa da advocacia criminal, melhor”!!

Essa é a associação de defesa da resistência democrática brasileira, a ADVOCACIA CRIMINAL.

QUEM APOIA COMENTA, AVANTE !!

Curta, chame os amigos, faremos mais e diferente, pela advocacia criminal, unidos pela resistência democrática.

Curta e siga a página da ANACRIM na rede social:

https://www.facebook.com/anacrimbr/

5 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Parabéns Doutor James Walker, que Deus continue abençoando o senhor nessa nova empreitada, ANACRIM associação Imparcial onde se defende a constituição e não bandeiras políticas.

Brasil acima de tudo é Deus acima de todos! continuar lendo

Interessante a proposta, realmente a Ordem dos Advogados do Brasil, pelo menos a Seccional Rio de Janeiro, deixa muito a desejar nessa área. Apenas quando a colega Fernanda Tórtima esteve diante da Comissão, na anterior gestão, este advogado sentiu-se apoiado e seguro. Devendo-se destacar que: a digna advogada sempre estava presente nas dependências da Comissão. O advogado criminalista não sofre apenas entraves na sua atuação perante o judiciário, com a dificuldade de acesso ao magistrado, pois o maior perigo é quando tem de atuar junto a delegacias de polícia e enfrentar servidores arbitrários, que lhe negam acesso a autos de procedimentos instaurados, alguns de natureza duvidosa, bem como o péssimo e desrespeitoso tratamento dispensado aos profissionais de direito.

Parabéns ao colega pela iniciativa.

Carlos Dias
OAB/RJ 158.530 continuar lendo

Avante! continuar lendo

Avante!!! continuar lendo